terça-feira, 17 de março de 2009

Cegueira do Amor

Cegueira do Amor
Efigênia Coutinho

Quando se ama imperfeição não se vê,
sendo o objeto do amor prazer...
Aquele que ama com veemência
do esboço do amor tem clemência

O Amor é cegueira da generalidade,
Nunca aceita ver o que acontece.
Ao cego, o amor, a alma enternece,
Não consegue ver má o bom desígnio.

Amor diante dos olhos coloca venda,
da nova forma, é cego dentro da lenda,
Um ser sem censura assumida...

Sendo sublime o amor, e eu não nego,
vou espalhando para o mundo todo:
O Amor é perfeito mas é cego!...

Balneário Camboriú
Maio 2008

16 comentários:

rodri disse...

Dicen que el amor es ciego, pero tus poemas son luz...sublime.
BESOS

wallper.lima disse...

Olá Efigênia quanto tempo!
Realmente o amor faz mta gente ficar cega, será bom? Ou deveríamos amar as pessoas como são, sem fantasias, sem ilusões, para q/mais tarde não viesse a desilusão.
Gostaria de vê-la em meu espaço, até porque tenho uma surpresa pra vc.
Bjs.
Waleria.

daufen bach. disse...

Olá Efigênia,
até que enfim aqui, tardo mas nao falho (lá isso é desculpa...rs)

Vim e visitar, conhecer tua poesia
mais de perto.Adoro os sonetos, para mim é a expressão máxima da poesia, embora eu quase nao os componha..são divinos!
Toda a tua poesia e bela!

Tu é de Camburiú! É um dos lugares mais bonitos que conheci. Ainda volta para essas bandas um dia..rs.

Abraço terno a ti.

daufen bach.

JC disse...

Obrigado por teres passado pelo meu blog.
Este poema é lindo, o amorpor vezes cega completamente as pessoas.
Voltarei
Beijinhos

manzas disse...

Então, não mais quero voltar a ver!
Lindo poema amiga!

Tocavam os raios ensolarados e madrugadores
Nas vastas planícies, terras por conquistar…
Do chão brotavam vidas e esperanças de amores
Colhidas por ninfas ao som de flautas, a dançar

Mas nessas terras, também corriam ventos de tirania
Trazidas por lordes e senhores de um Rei ditador…
Cobrando liberdade a um povo que por ela ardia
Forçados às leis impostas pelas espadas, suor e dor

Um resto de uma agradável semana!

Bem-haja!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Nilson Barcelli disse...

O amor é mesmo cego.
Para não falar da paixão...
Belo soneto querida amiga, gostei.
Bom resto de semana,
Beijo.

sagher disse...

belo soneto. parabéns

tertulías disse...

Oi linda, mas que beleza... Voce anda se superando contínuamente. Que talento!

Francisco Silveira disse...

Existem pessoas, que nascem com o mágico dom da poesia. Você é uma delas!
Outras pessoas, não conseguem rimar duas palavras. Aí eu me incluo!
O bom, é que o primeiro grupo desperta no segundo, a sensibilidade e a emoção!
Muito obrigado, EfiGênia!!

Alvaro Oliveira disse...

Esta Cegueira de amor!
Na verdade quando se ama,
nada se vê do mau... tubo
é belo, porque o amor nos
coloca uma venda em nosso
olhar.
Adorei este poema.

Um beijinho

Alvaro Oliveira

Cotovia disse...

...o amor é cego, por vezes por inocência, outras por opção!


As tuas palavras fazem-me pensar, gosto muito de te viitar,

Marcelo Henrique disse...

É fato que o amor cega.
Mas sem amor também não se enxerga nada...
Lindo seu poema!

Allek disse...

lindo espacio.... me ha encantado.. espero pasar mas seguido..
un abrazo!

Isabel José António disse...

Querida Poetisa Efigênia,

Linda a sua poesia. Lindo este soneto.

Os meus sinceros parabéns.

Amor que tudo vê e sente
Vem da Cósmica Consciência
Não pode ser cego somente
Ele é Eterna Transcendência

Amor que se dá sem receber
Amor que tudo consubstancia
És a essência do próprio SER
Combinas em pleno com alegria

Amor de querer tudo fecundar
Entrega inenarrável e sentida
És o símbolo que quero conjugar

Essência de tudo o que é vida
Desse milagre que é renovar
De sentir a esperança querida

Um grande abraço para si, querida amiga.

José António

Compondo o olhar ... disse...

desculpe a falha... meu nome é Ivany Pacini....!!!
brigadinha pela vista, volte sempre que desejar...
adorei seu blog e agora sou sua seguidora, abraços fraternos.

Cleo disse...

Efigênia, abraços pelo Dia Mundial da Poesia.
Beijinhos.
Cleo