terça-feira, 31 de março de 2009

R E V E L A N DO

R E V E L A N DO
Efigênia Coutinho

Da minha varanda elevada
Observo o Universo lá fora.
Criaturas disputando toda hora
Por um espaço desvairada...

Ao horizonte, perdidas no tempo
Folhas voam, leves a bailar,
No palco do céu a rodopiar,
Com leveza, na sinfonia do vento!

O fluir dum sonho agora, tem
a transparência do diamante.
Vem revelando-se constante!

O ar leve e salutar dentro e fora,
Na varanda, perfume de aurora,
Beijando sonhos que afloram!...

Balneário Camboriú

23 comentários:

Alvaro Oliveira disse...

Linda revelação!

O ar leve e salutar dentro e fora,
Na varanda, perfume de aurora,
Beijando sonhos que afloram!...

A beleza deste soneto me encanta,
como encanta a suavidade com que
escreve.

Parabéns amiga Efigénia.

Um beijo

Alvaro Oliveira

Isabel José António disse...

Querida Amiga Efigênia,

Lindíssimo soneto. Sente-se, não se comenta. Só por dentro se pode defini-lo, mas para isso não existem palavras suficientes.

Parabéns.


Do fundo do tempo vem
Esta leveza da poesia
Ficando sempre aquém
Daquela eterna alegria

Traz nas asas o planar
Sobre essas águas mansas
Que nos poem a sonhar
Com todas as esperanças

Sim, sintonizados ficamos
Com a harmonia intemporal
De querer ir longe e vamos

Ao epicentro do temporal
Que por dentro nos muda
Do grande ao miniatural


Peço desculpa por responder sempre com versos mas...não resisto a fazê-lo. Me perdoe.

Um abraço

José António

Francisco disse...

Amiga Efigênia.

É incrível como a tua poesia desperta, olfato, paladar, audição, tato e visão.
Acabei de sentir o Perfume da Aurora!
Só você mesmo para conseguir isso!
Um abraço e mais uma vez, obrigado!

manuel marques disse...

Revelação;consciência das palavras que nos leva, a nos conhecermos melhor.




Um xicoração de amizade.

poetaeusou . . . disse...

*
no varandim do tempo
sustento o Universo
na leveza de ser,
de ou não querer
serei o verso ou reverso
desfolhando o sentimento,
,
um mar de ternura,
dou-te,
,
*

IsabelPreto disse...

Pudesse eu estar nessa varanda, sentir essa emoção...
Pudesse eu saborear esses momentos, esse encanto...
Lindo!

Efigênia Coutinho disse...

GLOSANDO os primeiros versos de MINHA POESIA do escritor JOSÉ ANTONIO
http://flordojacaranda.blogspot.com/

A MINHA POESIA

Porque abordo sempre os mesmos temas
Na poesia que do meu coração sai?
Porque possuo em mim estes lemas
De ajudar alguém que por vezes cai?
MOTE


Porque abordo sempre os mesmos temas
Porque bordas teus temas com fio de ouro
Pelos ares, vem zumbindo sem tremas
Predizendo um futuro cheio de agouro.


Na poesia que do meu coração sai?
Os olhos deslumbrados da figura com ai
Sonho do véu a imagem luminosa
Tendo brilho e cor, na alma saudosa...


Porque possuo em mim estes lemas
Porque sorris da púrpura madrugada
Com minha face branda e apiedada.


De ajudar alguém que por vezes cai?
Porque conheces bem a frágil criatura
Que com golpes vive na desventura.


Efigênia Coutinho
MARÇO 2009

rodri disse...

Tu poesía revela belleza...muchas gracias por tus comentarios y
MIL BESOS

Poemas de amor e dor disse...

Efigénia,
Finalmente consegui colocar links muito especiais para os meus principais amigos.
Fiquei triste por saber que as novidades sobre o site.
Mais um belo poema colocado no blog. É extraordinário a facilidade com que a Efigénia escreve e a profundidade, enlevo que nos transmite.
Mais uma vez obrigado por estes 5 anos de cumplicidades poéticas.
Bjs
Rogério Martins Simões

António Gallobar disse...

Olá amiga Efigênia, mais um belissimo soneto que nos fala das nossas vidas apressadas disputadas onde não há tempo nem para sentir o suave e salutar perfume da aurora.

Restam os beijos para curar as feridas...

António Gallobar

Poemas e Cotidiano disse...

Oi querida Efigenia!
Eh tao bom observar o Universo, nao
eh mesmo? Mesmo acima da disputa diaria, eh tao bom ver as folhas leves que voam...na sinfonia do vento!
Essa eh a verdadeira vida. A vida do sentir!
Deixar o sonho fluir...
Que linda essa sua frase: "Na varanda o perfume de aurora, beijando sonhos que afloram"

Quantos de nossos sonhos afloram, e se afogam, e afloram, e afloram...

Lindo! Muito profundo minha amiga.
Um beijo carinhoso
MARY

lili laranjo disse...

Vou começando a descobrir a beleza dos seus blogues...

Um beijo

SER POETA É…


Ser poeta…
É ter alma…
É ter o mundo…
Dentro de si…

Sentir o feio…
E o bonito…
Sentir que o mundo…
É muito seu…
Com loucuras…
E com sonhos…

E o poeta vive…
Vive o seu mundo
Pois é o melhor…
Que a vida lhe dá…

E com fúria…
E com ânsia…
Vive o seu dia…
Vive o seu sonho…
Porque o seu mundo…
É mesmo…
O de ser poeta…


Lili Laranjo

LOURO disse...

Olá amiga Efigénia;

Bela revelação, neste soneto!!!
Parabéns...Gostei!!!

Obrigado pela visita e comentário.

Beijinhos de carinho e amizade,

Lourenço

Elza Fraga disse...

Oi, querida.
Desculpe a demora em vir até aqui, estou em viagem e com dificuldade de conexão.
Lindo blog! Lindos poemas!
Parabéns.
Bitokitas iluminadas procê.

rendadebilros disse...

AS suas palavras e as suas fotos são muito inspiradas...
Obrigada pela visita.
Beijos.

Ofarol disse...

Linda "varanda" a sua com um alcançe enorme. Lindo soneto.
Obrigado pela sua visita ao meu "recanto".

Ofarol

Multiolhares disse...

Devemos sempre manter as janelas da vida abertas para a luz do universo nos
banhar
beijos

BAR DO BARDO disse...

Permaneça, querida, na varanda do sonho...

Cleisson disse...

Oi
Obrigado pelas palaras de elogio ao meu blog as quais retribuo com todo carinho, seu blog é muito bonito e eu gosto muito de ler principalmente palavras tão bem escritas.
Parabéns!!

daufen bach. disse...

Oi Efigênia,

os sonetos tem uma particularidade ímpar, sou um eterno apaixonado por eles...acredito que deva ser a mais perfeita forma de poesia, um casamento entre o estética e a letra.

Teus sonetos são lindíssimos.

Dizem que para compreender o poema e se deliciar com ele, o nível de catarse entre poeta e leitor, tem que se equiparar...e, acredite, teus poemas, principalmente os sonetos, são capazes de colacor o leitor diretamente em contato contigo.

Parabéns mesmo!

daufen bach.

Alda do Crítica... disse...

Olá! Vim retribuir tua gentileza e explicar a falta de possibilidade em enviar mensagem naquele blog "A vida na Bélgica" é porque centro tudo no outro blog o Críticas, ali é meu Divan, sendo que o da Bélgica é para mostrar as diferenças culturais do país onde moro.

Amei suas poesias, que delicadeza!
Seu blog é um repouso para almas cansadas como a minha, pois o Crítica, meu Divan, é pesado demais, assim virei repousar aqui e beber desta água doce que ofereces.
Grande abraço.
Bjs
Alda

Léo disse...

Beijando sonhos que afloram.

Interessante como tu mistura a figura autoritária de um relacionamento amoroso (O Beijo), com a paixão pelo desenrolar do destino.

É uma paixão pelo destino.

Direto do Brasil.
Um abraço.

JC disse...

O perfume da aurora beijando sonhos que afloram. Linda esta frase. sta frase caracteriza todo o poema. A snsibilidade e a clareza com que o escreveste.
Sempre lindas e sábias mensagens.
Beijinhos