quinta-feira, 19 de setembro de 2013



SONETO A PRIMAVERA
Efigênia Mallemont

Serpenteando por águas cristalinas
vai esta breve paixão pelo rio longo,
coração perturbado em chamas sibilinas...
Vai adentrar a sua alma no céu oblongo.

O meu olhar reduz-se à sua ternura,
reduz-se a uma pupila cheia de meiguice,
e desliza no rio cheio de verdura
auscultando o concerto de Afrodite.

Sussurrando gemidos no escuro,
o gozo da loucura torna-o formoso
e o rio é perturbado no percurso
pelo esto arrebatado e fogoso.

Só a ara traz prazer e sedução
na bela Primavera da emoção.

Balneário Camboriú - 2003

2 comentários:

Zélia Chamusca disse...

Minhas felicitações a esta Grande Poetisa, Efigenia Coutinho, pela imensa beleza da primavera no verdadeiro lirismo deste poema - SONETO Á PRIMAVERA.
ZCH

Sônia Silva - O Universo dos Pensamentos disse...

Belo soneto, parabéns!

Boa noite, bjs