sexta-feira, 20 de setembro de 2013


passos e posses
  Efigênia Coutinho
 
Como poderia tantos sonhos ter.
onde andaria este ser.
que escreve poesia
nessa rítmica simetria
despejando passos e posses
raios de sonhos
clamando do céu
limites sem véus...
 
é  luar que desponta.
é alva estrela de mundos
que cintilam dentro  noite,
refulgente energia.
cantando, rindo, gritando

faz a ronda giratória dos astros
não  mácula a alma sem véus
Em cada poema uma história
onde tudo renasce novo e puro
como a essência do primeiro instante
sem pecado,
os sonhos limpos

que seja só por um instante
fugaz instante de vida.
sentindo tua guarida.

Em teus poemas, repousei véus
por silentes curvas
Divina emoção
no apogeu desta aventura!
Balneário Camboriú
2013


2 comentários:

Beki Bassan disse...

Lindo demais este seu poema "Passos e
posses" quanta verdade escrita numa forma meiga e como você diz "como a
essencia do primeiro instante sem pecado"

carlos pereira disse...

Belo sentir poético.
Gostei muito.